IMagem Ilustrativa
ícone Instagram

Investimentos em ambientação, decoração e arquitetura hospitalar

Arquitetura

Os investimentos na área de ambientação, decoração e arquitetura hospitalar são considerados na atualidade fator de atração por parte dos clientes, o que contribui para o aumento na demanda por serviços em hospitais e clínicas no Piauí. Devido a isto, tais serviços são crescentes em todo o Estado. De acordo com especialistas, a arquitetura, decoração e ambientação hospitalar são itens fundamentais no segmento de assistência médica e objetivam alcançar tanto a questão funcional quanto a visual. A funcionalidade, que diz respeito ao planejamento, visa facilitar o fluxo de equipamentos e pessoas, bem como o atendimento destas. O aspecto visual, por sua vez, relaciona-se à decoração e ambientação, que visam principalmente tornar os ambientes hospitalares “mais humanos” e retirar a tão comum sensação de desconforto.

No entanto, ainda são poucos em todo o estado a quantidade de profissionais que atuam especificamente nesta área e a maioria dos projetos é feita pelos arquitetos que aqui atuam, incluindo os mais famosos. São escassos também profissionais com especialização no ramo de Arquitetura Hospitalar, conforme informa a arquiteta Teresinha Castello Branco. Segundo o diretor médico de umas das mais renomadas clínicas do Estado, Dr. Aloísio Luz, “quando o espaço hospitalar ou clínico é planejado tudo funciona bem, tanto na facilidade de atendimento quanto na velocidade, o que é de extrema importância, pois muitas vezes um minuto corresponde a uma vida”, finaliza..


Os pacientes, que muitas vezes se encontram em momentos de dor, sofrimento, angústia ou depressão, conseguem alcançar, através da arquitetura, do visual, da decoração, da iluminação, um astral melhor, neutralizando situações negativas. Isso acaba por influenciar na procura de determinados hospitais e clínicas.

Teresinha Castello Branco explica ainda que “a tendência atual para a arquitetura hospitalar é humanizar os ambientes, tornando-os cada vez mais próximos em conforto de hotéis, principalmente no caso de doentes terminais, em que um ambiente mais confortável pode trazer melhores sensações para o final da vida. Mas não somente a eles, como também se apontam melhorias na recuperação dos demais pacientes. Basicamente, a tendência é decorar os ambientes abandonando-se o velho modelo frio dos hospitais mais antigos”.